11 3569-9844 | 21 2533-2961

Dicas da neurociência para aperfeiçoar o processo criativo

No momento em que vivemos, em que ganhar relevância e conquistar a atenção dos consumidores é uma briga diária, mais do que nunca a criatividade é importante.

Mesmo com toda a ascensão tecnológica, que permite acelerar processos e chegar aos consumidores de forma mais rápida, profissionais de marketing e comunicação continuam sendo desafiados a gerar soluções inovadoras para engajar o público, seja através de novas embalagens e produtos ou até propagandas de TV e estratégias de branding.

Mas afinal, como atingir a criatividade?

Criatividade é o substantivo feminino com origem no latim creare, que indica a capacidade de criar, produzir ou inventar coisas novas. Na teoria, parece bem fácil né? Mas a neurociência mostra que alcançar o pensamento criativo não é tão simples assim para nosso cérebro.

A verdade é que todos temos a habilidade de ser criativos, porém, isso exige um grande gasto de energia e nosso cérebro está sempre querendo economizar esforço (o oposto do que precisamos para ter criatividade). Portanto, é preciso estimular o processo criativo e há alguns aprendizados da neurociência que podem ajudar nesse sentido.

Primeiro,  é importante ter em mente que ideias surgem a partir da criação de novas conexões cerebrais, mas que têm como base referências anteriores. Por isso, busque a diversidade, entrando em contato com diferentes áreas, informações, pessoas, culturas, etc.

Também é preciso entrar no chamado estado “alpha”, que é o momento em que essas novas conexões são criadas. Esse estado é alcançado em momentos de relaxamento, prática de atividades físicas que permitam abstração/relaxamento e até ao inserir intervalos na sua rotina diária.

Por fim, seguindo esses primeiros passos, é possível atingir o famoso momento “eureca”: quando percebemos que existe uma nova ideia! Este é um processo consciente e, aqui, a principal dica é aperfeiçoar e testar suas ideias. Por isso, anote-as quando surgirem, faça “experimentos” e valide-os.

Para os profissionais de marketing e comunicação, as diferentes técnicas de neuromarketing podem ser capazes de ajudar a testar essas novas ideias. Alguns dos nossos cases exemplificam o uso de metodologias neurocientíficas para validar ou aperfeiçoar caminhos inovadores pensados pelos profissionais criativos. Dê uma olhadinha no nosso case de Ad Test, com o Grupo BB e Mapfre, e o Packaging & Shelf Test, desenvolvido com a Special Dog, para ver como podemos ajudar nesse processo.

Viu só como podemos desenvolver a criatividade? Tente colocar essas dicas em prática e conte para nós como foi a experiência! =)

Deixe um comentário

© Forebrain. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Agência Inbound