11 3569-9844 | 21 2533-2961
Insights sobre a nova realidade do e-commerce

Insights sobre a nova realidade do e-commerce

A pandemia da COVID-19 e os subsequentes bloqueios sociais geraram um “boom” no e-commerce. Nos EUA o aumento das compras pela internet acelerou o crescimento de 10 anos em um período de apenas 8 semanas, ocasionando mudanças permanentes no setor de varejo.

No brasil, as evidências também registraram que a pandemia trouxe transformações nos hábitos de consumo do shopper – 86% dos brasileiros com internet optaram pelo e-commerce durante o isolamento, resultando em uma opção segura e fácil de continuar realizando compras.

Os dados, portanto, sugerem um questionamento importante: enquanto marca, como se adaptar à essa realidade e continuar criando experiências positivas para o consumidor?

Nesse sentido, separamos 5 insights necessários para todo profissional de marketing readaptar suas estratégias diante do novo cotidiano.

1. A volta dos princípios básicos de marketing.

A eficácia na era do comércio eletrônico requer pensar em todos os fundamentos básicos: produto, praça, preço e promoção. Os hábitos do consumidor diferem no online quando comparados com lojas físicas. Os compradores digitais, por exemplo, frequentemente compram embalagens maiores e as compras por impulso são menos frequentes. Portanto, é preciso reconsiderar toda a jornada de compra do consumidor, oferecendo novas opções de produto, embalagens e preços diferenciados, e até uma maior preocupação com SKU a fim de gerenciar o estoque e garantir que os itens apropriados sejam entregues aos clientes.

2. Entrega como oportunidade para experiência e criatividade da marca.

Em tempos de e-commerce, a entrega é o novo e principal “momento de verdade” para as marcas, com potencial para encantar e impulsionar compras repetidas ou decepcionar os consumidores. Os compradores online não conseguem sentir ou tocar um produto, tornando a experiência do cliente vital.

Para compensar a perda da interação física, os profissionais de marketing devem fornecer uma CX superior – da embalagem para o produto final, cada camada do desembrulhar pode fazer parte da história da marca por meio de cores, mensagens, material e design.

3. A ascensão da transmissão ao vivo.

A COVID-19 acelerou o crescimento do e-commerce livestreaming na China: uma combinação poderosa de influenciadores, vídeo, vendas e online. É um novo formato de comércio eletrônico e método de venda, integrando demonstrações de produto ao vivo, preços por tempo limitado, negociações e encomendas instantâneas. Portanto, livestreaming se tornou uma forma de “varejo-entretenimento”, em que comércio e entretenimento se entrelaçaram em um show.

4. A transformação do marketing de performance.

Marcas e anunciantes estão procurando estender seu alcance para o e-commerce. A Amazon, por exemplo, teve um crescimento recorde em face do surto de COVID-19, com a receita de anúncios aumentando 43,8% (US $ 1,2 bilhão) para US $ 3,9 bilhões no primeiro trimestre de 2020, à medida que as marcas procuram formatos de anúncios vinculados ao comércio online.

O objetivo é que o cliente possa passar por toda a jornada de compra em um único lugar – desde a consciência, para o engajamento e, finalmente, a compra dentro de uma única plataforma. Isso significa mídia, publicidade e estratégias sociais alinhados ao e-commerce.

5. Os perigos do curto prazo.

A ascensão dos formatos de mídia online e e-commerce provavelmente irão acelerar a mudança em direção ao curto prazo identificada por pesquisadores como Les Binet e Peter Field. No entanto, há evidências de que um trabalho de marca a longo prazo é a chave para direcionar o tráfego, aumentando o desempenho de anúncios de resposta direta e manutenção de preços. O equilíbrio é fundamental – não é uma questão de investimento em qualquer marca ou ativação, mas uma mistura inteligente de ambos. A confiança é vital na experiência de ponta a ponta.

Desse modo, é possível identificar que as marcas precisam encarar um novo mindset para esse novo cotidiano em que o consumidor, mais uma vez, deve ser o centro de toda e qualquer estratégia futura. Quais são os novos hábitos que seu comprador adquiriu durante e pós pandemia? Descubra através de nossas metodologias neurocientíficas e fale conosco!

Deixe um comentário

© Forebrain. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Agência Inbound