11 3569-9844 | 21 2533-2961

Watch Out Ligeirinho! Falar pausado é melhor!

Cuidado, a maneira como você fala com o seu consumidor pode definir o seu nível de engajamento.

Uma nova tese de Doutorado em Linguística da Universidade de Gotemburgo, afirma que em um discurso de pausas longas é difícil de ser compreendido, mas quando fazemos pausas curtas, trazemos mais clareza e engajamento!

Quando falamos não pausamos depois de cada palavra. Em vez disso, fazemos uma pausa entre enunciados mais longos – às vezes para respirar, para pensar, ou para ver se alguém quer dizer alguma coisa. Nós normalmente nem percebemos as pausas, mas se percebemos uma pausa um pouco mais longo, nós já começamos nos perguntar o que está acontecendo, não é mesmo?

img_14665_apa_12472_orig

Kristina Lundholm Fors pesquisou o que define ser um período normal ou longo demais de pausa quando falamos. Ela acha que nós tendemos a adaptar a maneira que falamos e assim usamos as pausas conforme as respostas que recebemos de nossos “parceiros” de conversa. Segundo ela, quando a outra pessoa usa pausas mais longas, acompanhamos e fazemos a mesma coisa e vice-versa.

Lundholm Fors usou a ferramenta de eye tracking para medir o processamento de frases com pausas longas, pausas médias e sem pausas. Os seus resultados mostram que quando falamos frases com pausas longas tendem a ser mais difícil de serem processadas. As longas pausas em seu estudos foram de quatro segundos de duração.

“Quatro segundos não parece ser um tempo muito longo, mas quando você está falando com alguém parece uma eternidade. Uma pausa em um discurso dura normalmente apenas cerca de um quarto da metade de um segundo. ”

Assim, longas pausas podem afetar negativamente a comunicação, mas eles também podem ter um efeito positivo, se não forem muito longas. Após o estudo com o eye tracking, foi solicitado as pessoas que realizaram o teste a indicarem quais as frases que tinham ouvido durante este período. As frases que continham pausa de meio segundo acabaram por ser significativamente mais fáceis de entender do que frases que não tinham pausas ou frases que continham uma pausa extremamente longa.

As pausas sempre ocorrem durante uma conversa, apresentação ou pequena frase, e aprender mais sobre elas podem nos ajudar a entender como os ouvintes irão interpretar. A pesquisa de Lundholm Fors mostra que pausas na fala não são distribuídos aleatoriamente; Em vez disso, o uso deles segue um padrão distinto.

“Isso significa que quando falamos com outras pessoas, nós sabemos exatamente quando ocorrerá uma pausa e assim podemos usar disto para nos preparamos para dizer algo importante”, diz ela.

Os resultados da tese de doutorado da Lundholm Fors contribuem para entendermos melhor como podemos utilizar as pausas em nossas falas e modelos podem ser utilizados no desenvolvimento de sistemas para a comunicação entre humanos e computadores.

“A partir do momento que as pausas se tornam importantes para o processamento das informações, o uso mais natural das pausas na fala computadorizada pode contribuir para melhor compreensão. Os modelos de pausa também podem ser úteis na avaliação de indivíduos com diferentes tipos de deficiências, como dificuldade para falar e se comunicar “, diz ela.

Para aqueles que precisam usar a comunicação falada para vender suas ideias, produtos e serviços, o estudo reafirma a importância das pausas dramáticas que criam expectativa e atenção para os ouvintes.

E você, é do tipo ligeirinho ou fala lenta?

Continue acompanhando o blog da Forebrain para descobrir como a neurociência pode te ajudar a entender melhor as melhores estratégias e táticas de consumo!

source: University of Guthenburg – http://hum.gu.se/english/current/news/Nyhet_detalj/pauses-can-make-or-break-a-conversation.cid1320238

Deixe um comentário

© Forebrain. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Agência Inbound